Banco de tempo > História
História

O Graal é um movimento internacional de mulheres que tem como missão construir uma cultura do cuidado e iniciou o trabalho de criação das condições para a implementação do Banco de Tempo em Portugal no ano 2000.

O primeiro contacto do Graal com o conceito do Banco de Tempo deu-se num encontro em Barcelona, em 1998, através da Associação Salud Y Família, no âmbito do projeto "Para uma Sociedade Activa". Esta associação catalã tinha já começado a dinamizar Bancos de Tempo, com inspiração nas iniciativas italianas, em particular na experiência de Sant Arcangelo di Romagnia.

Contando com o apoio de Maria de Lourdes Pintasilgo, o Graal começou em 2000 a trabalhar aspetos regulamentares e a desenvolver a imagem institucional do Banco de Tempo, concebendo instrumentos operativos e envolvendo várias entidades na qualidade de potenciais parceiras.

Foi decisivo o apoio de Maria de Belém Roseira, então Ministra da Igualdade, que acolheu muito bem a proposta de implementação do Banco de Tempo em Portugal e desenvolveu as diligências necessárias no sentido da concessão de apoio financeiro. O Banco de Tempo foi reconhecido como um serviço à Conciliação Trabalho/ Família no quadro da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE) e chegou a estar mencionado no orçamento do Estado. Este apoio foi concedido durante dois anos e caiu aos primeiros sinais da crise. 

No início de 2002, foi criada a primeira Agência do Banco de Tempo em Portugal, na cidade de Abrantes.

Entretanto, o Banco de Tempo foi ganhando visibilidade, consolidando-se e assumindo diferentes configurações nos territórios onde ganhou vida. Há hoje, em Portugal, mais de 1900 membros do Banco de Tempo 74% dos quais são mulheres. Há atualmente 28 agências a funcionar em diversos pontos de Portugal continental e nas duas Regiões Autónomas, que se concentram em áreas do litoral e sobretudo a Norte do Tejo, acompanhando o padrão de distribuição populacional do país.


O Graal como Banco Central

Ao longo destes anos, o Graal tem procurado nutrir esta iniciativa:
  • Promove a criação de novas agências do Banco de Tempo. 
  • Desenvolve acções de formação inicial, destinadas a pessoas que queiram aprofundar o seu conhecimento sobre o Banco de Tempo e, em particular, àquelas interessadas em coordenar ou colaborar na abertura e dinamização de novas agências.
  • Apoia as agências do Banco de Tempo em funcionamento. 
  • Desenvolve dois Encontros Nacionais do Banco de Tempo, estruturando oportunidades regulares de diálogo, encontro e formação das equipas dinamizadoras locais. 
  • Assegura a elaboração de diversos instrumentos operativos. 
  • Promove a divulgação do Banco de Tempo. 
  • Articula-se com parceiros nacionais e internacionais.
  • Desenvolve actividades de monitorização e de avaliação do funcionamento da Rede Nacional do Banco de Tempo.