Banco de tempo > Testemunhos
Testemunhos

Conheça alguns testemunhos de membros do Banco de Tempo
"(...) Tive a sorte de fazer companhia à Emília na exposição sobre Fernando Pessoa, que teve lugar na Fundação Calouste Gulbenkian. Recebi, em troca as bainhas de duas calças de ganga feitas por uma vizinha que não conhecia, apesar de residirmos a poucos metros de distância, na mesma rua. (...). Fazer parte do Banco de Tempo é uma experiência de ajudar e ser ajudado numa troca de tempo, um recurso cada vez mais escasso…Esta disponibilidade é premente numa sociedade cada vez mais individualista. No Banco de Tempo é possível conhecer e dar-se a conhecer na comunidade que, no fundo, são os nossos vizinhos."
Susana Gil Soares, Membro da Agência do Banco de tempo da Penha de França

"É um movimento fora de série que me enche e preenche! Estou muito satisfeita porque arranjei novas amizades e, principalmente, porque me sinto mais útil e mais rica como pessoa. (...) A solidariedade correspondida: eis como defino o Banco de Tempo. Enquanto os ingleses dizem “tempo é dinheiro” nós, os membros do Banco de Tempo, dizemos “tempo é troca”. E é nesta troca de serviços e de afectos que nos sentimos próximos e úteis e, assim, nos enriquecemos."
Isabel Aresta, Membro da Agência do Banco de Tempo de Quarteira

"(...) todos conseguimos encontrar valor acrescentando, através de simples trocas, para além dos limites culturais e/ou profissionais. Obrigada por existires Banco de Tempo e nos deixares ser o que partilhamos."
Arlete Simão, Membro da Agência do Banco de Tempo de Santo António dos Cavaleiros

"Com o Mini Banco de Tempo, realizámos muitas actividades que contribuíram para as pessoas que somos hoje. (...) Aprendemos a dar mais valor ao tempo e a gerir melhor aquele que temos disponível, a conservar e a fazer novas amizades. (...). Gostaríamos muito que o projecto não ficasse por aqui e que alargasse as suas fronteiras para dar conhecimento a outros jovens desta fantástica experiência."
Rafaela e Jéssica, Membros da Agência do Banco de Tempo Júnior da Escola Cego do Maio, Póvoa do Varzim

"A participação no Banco de Tempo foi um dos fatores que permitiram a minha melhor integração na comunidade da Portela (...). Em determinada altura, uma pessoa entrou na sala onde decorria uma reunião e perguntou: - É então daqui que saem tantos risos e tanta alegria?"
Belén Molowny, Membro da Agência do Banco de Tempo de Portela

"(O Banco de Tempo) Favorece os laços entre as pessoas, dá a possibilidade de cada um poder dar e dar-se aos outros… aprendemos a dar e receber sem as amarras nem as convenções que nos limitam... E fica uma sensação de liberdade, de independência, de respeito pelo esforço e pela dedicação do nosso semelhante. É uma gota de água num mundo individualista e egocêntrico, mas uma gota que faz toda a diferença."
Helena Reis, Membro da Agência do Banco de Tempo de Coimbra

"Cheguei ao Banco de Tempo por convite de alguns membros deste movimento e, como a sua filosofia me seduziu, inscrevi-me (...) Tenho colhido muito mais do que dou, em especial no aspecto emocional, convívio, de conhecimento de realidades diferentes da minha..."
Zizi, Membro da Agência do Banco de Tempo de Albufeira

"Como membro do Banco do Tempo, tenho feito diversas coisas: ajudo os idosos, lendo-lhes histórias, escutando o que têm a dizer sobre a vida, dou aulas a uma pessoa portadora de deficiência... Recebo, em troca transporte para Estarreja e também a alegria e a satisfação de ajudar os outros."
Anna Emília Vieira, Membro da Agência do Banco de Tempo da Murtosa

"O meu verdadeiro encontro com o Banco de Tempo aconteceu naquele dia em que precisava que alguém me acompanhasse ao médico (...) Um membro acompanhou-me. E porque o médico chegou muito atrasado, tivemos tempo para nos conhecermos uma à outra, no mais fundo de nós. O sorriso e o olhar daquela pessoa, abriu-me as portas para aquele tempo em que, naturalmente, isentamos e somos isentados, sem que nada nos distaria do outro, com quem estamos. E a vida flui em nós, em abundância.
A partir daí, posso afirmar que o meu quotidiano mudou radicalmente. Porque me ocorre o conto da Fada Oriana, para dizer quanto a minha vida mudou? Foi no dia em que conheci aquele membro que aderi de alma e coração ao Banco do Tempo."
Margarida Morgado, Membro da Agência do Banco de Tempo de Évora

"Tenho prestado serviços de reparações domésticas, organizei passeios à serra de Sintra... Em contrapartida tenho participado em alguns workshops de índole mais cultural. Conto continuar a dar e a receber..."
Henrique Matias, Membro da Agência do Banco de Tempo de Cascais